Prefeitura Municipal de Bicas

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Município é aprovado em projeto de horta escolar e gastronomia

E-mail Imprimir PDF
Bicas está entre os 200 municípios do Brasil que foram selecionados pelo Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília (CET/UnB) para o projeto “Educando com a Horta e a Gastronomia – Formação de agentes para dinamização da Alimentação Escolar no Espaço Educativo a partir da gastronomia e sustentabilidade”, segundo as condições definidas na Chamada Pública CET-UnB/FNDE nº 1/2012.

A coordenadora do projeto, professora Ana Rosa Domingues dos Santos, está em contato permanente com o prefeito Honório e a secretária de Educação, Denisy Durão, passando-lhes detalhes e instruções sobre como proceder para que os benefícios dessa conquista seja plenamente aproveitado.

UnB e FNDE formam agentes para disseminar conhecimentos em todo o País

O Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília (CET/UnB) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação do Ministério da Educação (FNDE/MEC) formalizaram/fizeram parceria para desenvolver o projeto Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia - Formação de agentes para dinamização da alimentação escolar no espaço educativo a partir da gastronomia e sustentabilidade, que, como o nome indica, visa promover a alimentação saudável, saborosa e sustentável nas escolas públicas dos municípios participantes.

O projeto foi criado em 2004, pelo FNDE e pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), com o nome de Educando com a Horta Escolar. Já em 2005 entrava em prática em três municípios pilotos, Saubara (BA), Bagé (RS) e Santo Antônio do Descoberto (GO), marcando a primeira fase do Educando com Horta. Em 2007, estendeu-se para outros 14 municípios, e recebeu a adesão de mais cinco localidades em 2008. Atualmente está em ação em 13 estados das cinco regiões do País.

Este ano, já em parceria com o Núcleo de Referência em Gastronomia e Alimentação Regional do CET/UnB, além dos temas de educação, meio ambiente e nutrição, o projeto também incorpora a gastronomia, abordando ingredientes e receitas regionais, além de técnicas culinárias de preparo de alimentos e da experiência dos sabores e aromas, para, assim, impactar positivamente na qualidade sensorial e na apresentação das refeições escolares.

OBJETIVOS - O Educando com a Horta Escolar e a Gastronomia visa a formação de nutricionistas, professores e coordenadores pedagógicos dos municípios participantes, representantes dos Conselhos de Alimentação Escolar (CAEs) e demais integrantes das comunidades escolares envolvidas, como agentes multiplicadores de ações educativas do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE/FNDE).

Além do suporte aos consultores contratados, o Projeto Educando com a Horta e a Gastronomia oferecerá materiais didáticos, como cadernos de cada área, vídeos metodológicos e documentos de mapeamento de processos em seus cursos.

Será aplicada como metodologia a formação presencial contínua, oferecida em nove polos de formação para 200 municípios. Cada município deverá indicar cinco participantes, totalizando mil agentes multiplicadores, que deverão realizar em seus municípios de origem um curso com 48 horas de duração.

ATUAÇÃO do CET- “O papel do CET é trazer a discussão da alimentação que não seja só nutricionalmente adequada, mas também de valorizar o aspecto sensorial que a gastronomia oferece. Esse é o diferencial do projeto, com a nossa equipe levando as discussões para dentro das escolas, por meio dos agentes que vamos formando, e esses agentes irão depois levar o conhecimento nos municípios, num princípio de formação em rede”, explica a coordenadora do Projeto, Ana Rosa Santos.

Os agentes multiplicadores serão responsáveis por oferecer uma formação para 20 diretores e professores, 10 merendeiras e 30 professores.

EDUCAÇÃO ALIMENTAR - o Projeto Educando com a Horta Escolar foi concebido para contribuir com a melhoria dos hábitos alimentares dos escolares e da qualidade dos alimentos oferecidos nas escolas, por meio da promoção da educação de crianças, adolescentes e adultos de escolas atendidas ao PNAE e comunidades do seu entorno, utilizando como ferramentas as hortas escolares e a gastronomia, ou seja, propondo temas sobre a alimentação nutritiva, saudável e ambientalmente sustentável, como eixo gerador da prática pedagógica.

Um dos requisitos para participar do projeto era encaminhar os documentos em ofício, indicando os agentes multiplicadores para a formação continuada oferecida pelo CET/UnB, e garantir e viabilizar sua participação nos cursos (providenciando os deslocamentos para o polo de formação, a hospedagem e a alimentação de seus participantes designados, e o acesso à internet para a formação a distância), além de estimular a incorporação da produção da agricultura familiar na alimentação escolar.

“Havia um banco de dados feito pelo FNDE no início do projeto em 2005. Ao fazer a Chamada Pública, foram priorizados os municípios que demonstraram interesse desde o início do projeto, sendo esse um dos critérios para participar do curso. O critério principal de exclusão era o município não poder ter qualquer denúncia pelo FNDE, e também a ordem de chegada dos e-mails enviados demonstrando interesse”, esclarece a coordenadora. Segundo ela, cerca de 600 municípios já constam no banco de dados do PEHE.

BENEFÍCIOS - O Projeto Educando com Horta Escolar e a Gastronomia pretende promover a melhoria do rendimento escolar e da saúde dos estudantes e estimular a inserção da educação alimentar e nutricional no currículo escolar e no cotidiano da prática educacional dos sistemas e redes de ensino. Outros benefícios previstos são: o favorecimento da mudança do hábito alimentar dos escolares; o intercâmbio de conhecimentos e de experiências entre entidades envolvidas com a promoção da alimentação saudável; o respeito e a valorização à diversidade cultural e às preferências alimentares locais do município e região em que se encontra; e incentivar a participação da sociedade civil no acompanhamento da execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar nos municípios.

Uma das preocupações sobre os benefícios apontados é a melhoria da qualidade da educação no município, por meio da multiplicação dos conhecimentos adquiridos pelos agentes multiplicadores nos cursos, conforme programação a ser elaborada com as Secretarias Municipais de Educação, assim como a melhoria da qualidade de vida da comunidade escolar e no município como um todo.

RESULTADOS - Após os cursos de formação, os participantes devem estar aptos a abordar o conteúdo de vários campos e disciplinas, utilizando como ferramentas pedagógicas a horta escolar e a gastronomia, e assim promovendo a participação e o envolvimento de toda a comunidade escolar.

Depoimentos vindos de municípios que implementaram a horta escolar comprovam que os estudantes ficam mais interessados nas aulas, alterando positivamente seu desempenho escolar e hábitos alimentares, como maior consumo de frutas e hortaliças.

Também foram observadas mudanças significativas nos cardápios escolares, que passaram a ter maior oferta de alimentos saudáveis e aproveitamento de alimentos in natura, com consequente melhoria do perfil nutricional e da saúde dos estudantes destes municípios. (CET imprensa – Bruno Borges)
Fonte: CET/UnB